Música para além da voz e dos ouvidos

Musicoterapia como tratamento para acalmar e melhorar a qualidade de vida em situações difíceis

Sabe quando você ouve uma canção e instantaneamente lembra-se de alguém ou de uma situação que já viveu? Sabe quando por alguns segundos aquela emoção toma conta do momento?

Então, viver essas memórias e despertar esses sentimentos podem ser saudáveis, além de ser uma prática para superar um momento difícil e obter paz. Tudo isso com eficiência cientificamente comprovada. Chamada de Musicoterapia, faz parte da Medicina Integrativa, uma área da saúde especializada já disponível em consultórios de Psicologia.

Além de um momento prazeroso, a terapia com música é um tratamento antiestresse, recomendável para o enfrentamento de momentos difíceis da saúde física ou emocional, tanto para o paciente como para seus familiares.

Recentemente, numa live em seu canal nas redes sociais, a psicóloga Priscila Beira explicou a dinâmica da musicoterapia. “A música tem o poder de acessar alguns núcleos de memórias. Por meio dela conseguimos transportar essas lembranças carregadas das emoções que vivemos num determinado momento”.

Ao acessar diretamente esses núcleos, a música é capaz de fazer pacientes gravemente doentes vivenciarem uma boa lembrança. “A musicoterapia é muito utilizada com pessoas que enfrentam doenças graves, crônicas, tratamentos pesados como quimioterapia ou em processo de fim de vida”, explica Priscila Beira.

De acordo com a psicóloga, pacientes que não dispõem de habilidades motoras, que encontram-se acamados e sem se mexer, continuam com suas memórias dentro de si. “Quando os familiares acessam esses núcleos junto com o paciente, além de homogeneidade de sentimentos, cria-se um link maior entre os familiares, o que proporciona a todos menos agitação, menor ansiedade e diminuição da oscilação de humor”, explana.

Para a especialista, o efeito ocorre porque a música traz referência de segurança, alivia o estresse e ansiedade, além de oferecer a oportunidade para as pessoas sentirem-se mais próximas.

Assim, a terapia musical com gatilhos emocionais oferece momentos de reflexão e entre seus ganhos está a superação de situações difíceis de maneira saudável, seja no enfrentamento de uma doença grave, do luto ou mesmo de uma perda de grande importância pessoal.

Como disse o neurologista, escritor e químico amador anglo-americano, Oliver Sacks, citado por Priscila Beira: “O poder da música é marcante porque favorece um movimento anteriormente impossível”.

Confira a live, por meio do canal Instagram da psicóloga Priscila Beira.

INSCREVA-SE

Assista ou reveja o “8º Movimento Você e a Paz de Amparo/SP” de forma simples e fácil.

Inscreva-se e tenha acesso ao vídeo EXCLUSIVO e COMPLETO.